quarta-feira, 12 de novembro de 2008

De volta para o futuro

Eu vivo lembrando aqui de como era difícil descolar algo novo para ouvir até a primeira metade da década de 90. As fontes de informação eram meia dúzia de revistas de música (Bizz, Rock Brigade e outras menores) e a MTV, que ainda cumpria sua missão de mostrar clipes, ditava as novidades. Às vezes, algum amigo aparecia para mostrar a fita que outro amigo gravou com umas bandas novas.

Se você quisesse ouvir algo diferente, não tinha Google e nem mp3 pra te ajudar. Você tinha que levantar a bunda da cadeira, ir até uma daquelas lojas de disco com um cabeludo com camisa do Megadeth atrás do balcão e perguntar pelas indicações dele. Não tinha como abrir o plástico do CD para ouvir, não tinha como passar código de barras em maquininha para ter uma prévia do disco. Estamos presos em 1995, esqueceu?

O lance era ficar descrevendo pro cara algo mais ou menos parecido com o tipo de som que você queria ouvir. E o sujeito ia até o estoque e trazia alguma coisa diferente para você. Esse disco do Rancid é um marco pra mim, pois, a partir dele, comecei a me desligar das imposições da MTV (tudo bem, o Rancid tinha um clipe na MTV, mas o som deles era sujo demais para estourar). Passei a conversar mais com essa turma de loja de discos. Os caras realmente conheciam o que estavam vendendo.

Sobre o disco, posso dizer que a faixa de abertura, Maxwell Murder, dá o tom da coisa. O melhor do Rancid é ter um baixista habilidoso, que consegue levantar o som da banda com um, acredite, toque de jazz frenético em meio àquele som sujo.

Depois de escrever esse texto, deu até vontade de visitar aquelas lojas de novo. Mas elas fecharam. Estamos em 2008, esqueceu?


1. Maxwell Murder
2. The 11th Hour
3. Roots Radicals
4. Time Bomb
5. Olympia, Wa
6. Lock, Step, & Gone
7. Junkie Man
8. Listed M.I.A.
9. Ruby Soho
10. Daly City Train
11. Journey To The End Of The East Bay
12. She's Automatic
13. Old Friend
14. Disorder And Dissarray
15. The Wars End
16. You Don't Care Nothin'
17. As Wicked
18. Avenues And Alleyways
19. The Way I Feel

9 comentários:

SS disse...

****** NOTÍCIA DO DIA ******
Gavin Rossdale: 'há grandes chances de reunião do Bush'
12/11/2008


O cantor Gavin Rossdale revelou em entrevista à revista Blender que há grandes chances de que o Bush se reúna no futuro.

“(As chances de uma reunião do Bush) São bem altas. O Wanderlust seria originalmente um disco do Bush, por uns dois ou três meses. Então o guitarrista, Nigel Pulsford, que era quem não queria mais turnês, de repente resolve que não queria deixar sua família”.

“Eu entendo. Acho que ele sentiu falta de não ter acompanhado o crescimento de sua filha durante seus primeiros anos. Seria um grande ano para o Bush. Seria um ótimo retorno. Ninguém roubou a moto ou esposa do outro, então há sempre a possibilidade”, afirmou Rossdale.

fonte: http://www.entermagazine.com.br/site/entersom/index.asp?id=8034&area=1&p=visualizar

Henrique disse...

Cara, tudo que vc descreveu serve pra mim, só que eu tentava pegar dicas era mais com os amigos e em revistas (nunca freqüentei muito as lojas, entrava, dava uma "folheada", comprava ou não e saía).

Vc não tem idéia de como adoro este CD. Este e LET'S GO me deixaram de cara. Os caras são demais. Depois deste comprei quase todos deles: LET'S GO, RANCID[2000], Life Won't Wait... Mais recentemente Indestructible e B & C Sides. Tudo bem, falta o primeiro RANCID[1993], mas quem sabe ainda virá um dia.

Minha ex-mulher nunca entendeu: "Gosto de quase tudo que vc coloca: Neil Young, Buffalo Tom, Waterboys, até AC/DC e Led Zeppelin, mas esse Rancid não dá pra entender"... Mostrava Clash, a semelhança, mas ela não engolia (especialmente RANCID [2000]).

Quanto ao baixista, sem comentários, é um dos melhores que existem. No site do MOFODEU (tem um tempo que não acesso) numa pesquisa sobre baixistas indiquei o Jaco Pastorius e o Matt Freeman... Colocaram uma música do Jaco mas do Rancid... Bom, acho que eles não entenderam tb.

Valeu pelas lembranças de tempos idos...

atlantic disse...

Fala, Henrique!

Cara, esse disco foi um dos responsáveis pela minha audição já não ser tão perfeita. Saía com os ouvidos zunindo depois da fúria do Rancid. Tenhos os primeiros 3 discos e roubei o Life Won't Wait por anos de um amigo (que só lembrou disso quando foi me roubar um disco). Aliás, já ouviu a banda Operation Ivy?

atlantic disse...

Gerson... não sei se comemoro ou não a volta do Bush. Têm coisas que é melhor deixar como estão. Olha o caso do Pixies.

O recado do Bush já foi bem dado. Se voltarem pra uma turnê, legal. Mas lançar disco novo, depois dos delírios pop do Gavin, acho que vai ser decepcionante.

:: Fräulein :: disse...

Em copacaban ainda resite a Snakepitty no centro comercial, hahaha.
Eu ia lá direto perturbar o dono.
Hoje em dia temos essas megastores com vendedores que não entendem nada de nada...
Eu também gostava da épeoca que eu alugava cd.

Carlos. disse...

Apesar de tudo

era uma época excelente!!!

Eita anos 90

atlantic disse...

E na Gávea tem a Tracks, conhece, Fraulein? Lá o estilo é totalmente "Alta Fidelidade". Chega ao ponto do dono da loja chegar pra você e falar: "não compra esse disco não. é uma merda. quer ouvir?"... Sério mesmo.

É, Carlos... no fim dos anos 90 tivemos o mp3. O que será que vem aí no fim dos 00's? O CD já está morrendo, o vinil voltando. Seria uma vitória dos saudosistas? hehehe

Giul, Discoteclando disse...

E eu que comprava vinil... depois... eu era um desses caras nas lojas de discos, só que a camiseta era do Led Zeppelin...

Henrique disse...

Atlantic,

Já ouvi o ENERGY que baixei na Internet mesmo. Era um dos CDs da minha lista de futuras compras, mas como é só importado, mais caro, sempre fui adiando.

Gostei pra caralho do CD. Era o pessoal do Rancid antes do Rancid, não é? Mais Ska e menos punk... Achei bem legal o CDzinho. E a capa é bem legal tb. Continua na lista, mais pro futuro. Hoje em dia ando gastando toda minha grana em DVDs... E provavelmente vou parar por aí (não vou "aderir" ao Blu-Ray).

Discoteclando, acabei de passar pelo seu Blog. Parabéns pelo Blog, é muito bom tb. Eu sou da época do vinil tb.

Veleu galera, inté!