segunda-feira, 3 de novembro de 2008

100º post

Chegamos ao centésimo post! Em comemoração, evocaremos mais uma vez as graças de São Dylan para abençoar o blog com um disco sensacional.

Se ainda não ouviu, não perca tempo. Esse é o famoso álbum no qual Dylan aponta em direção ao folk rock pela primeira vez, o que, na época, irritou muita gente por causa do uso de guitarras.

Nosso esquema de sempre: clique na capa.


1. Subterranean Homesick Blues
2. She Belongs To Me
3. Maggie's Farm
4. Love Minus Zero/No Limit
5. Outlaw Blues
6. On The Road Again
7. Bob Dylan's 115th Dream
8. Mr. Tambourine Man
9. Gates Of Eden
10. It's Alright, Ma (I'm Only Bleeding)
11. It's All Over Now, Baby Blue

3 comentários:

Henrique disse...

Tenho que admitir que andei relativizando o Dylan de uns tempos para cá... Achava o cara gênio quando eu era garoto, mas, poxa, sendo mais realista comigo mesmo, não consigo escutar inteiro o Highway 61 e o Blonde on Blonde (por exemplo). Como posso idrolatar o cara se não tenho s... pra ouvir sua música?

Bom, para o alívio de minha consciência, tem 2 discos que continuo achando geniais até hoje: o Blood on the Tracks e este, Bringing it all back Home.

Uma vez tava com um amigo professor de inglês vendo um DVD que Dylan cantava It's Alright, Ma (I'm Only Bleeding) com as legendas. A gente tava meio viajando e lá pro meio da música tivemos a mesma reação: viramos um pro outro e falamos "esse cara é bom pra caralho". A letra é f... demais! Esse disco é todo bom, genial mesmo (ok, Baby Blue já tá meio batida, de tanta regravação).

Minha favorita: Bob Dylan's 115th Dream. Genial tb.

Valeu pelo post... Valeu tb pelo Ottis Reading (bom demais)!!! E outras pérolas.

atlantic disse...

Eu não consigo não rir junto com o pessoal da introdução da Bob Dylan's 115th Dream... foi assim desde a primeira vez que ouvi.

Engraçado isso...Eu também já não ouço tanto o Highway 61. Ficou cansativo. Blonde on Blonde volta e meia estou ouvindo.

Meu predileto, nesse momento, é o John Wesley Harding. Mas Bringing It All Back Home é um disco difícl de enjoar. É muito bom!

atlantic disse...

Ah, grande Otis Redding!