sábado, 13 de junho de 2009

O show mais vazio do Rio

Vem aí aquele que promete ser o show mais vazio que já passou por terras cariocas. O cheiro de fiasco no ar não é pessimismo, é pura matemática. No dia 19 de julho, a excelente Cat Power fará escala no Rio de Janeiro e tocará no HSBC Arena!

Pra quem é de fora do Rio e não se ligou no absurdo, o HSBC Arena (foto) foi o palco do show do REM totalmente vazio, do Bob Dylan meia-boca e por aí vai. O lugar tem capacidade para, no mínimo, umas 15.000 pessoas e, sem querer ser chato, Cat Power já teria dificuldade de lotar um Canecão, que tem capacidade de público dez vezes menor.

Se esse show rolasse no Circo Voador, tenho certeza que Chan Marshall sairia do Rio com uma impressão melhor. Mas o HSBC Arena é grande demais para o público dela aqui em terras cariocas. Até o maior otimista deve concordar comigo.

7 comentários:

Charles disse...

Sinceramente e me desculpem os paulistas, mas adoro o Rio, mesmo sem nunca ter ido, tenho uma simpatia extraordinária pela cidade.
Mas uma coisa me intriga, porque este tipo de coisa acontece tanto no Rio? Acompanho uns três ou quatro blogs daí, além do Ronca Ronca e invariavelmente vejo/ouço comentários como este, é como se a capital que já abrigou tantos eventos dos sonhos (Rock'n'Rio, Hollywood Rock's da vida etc..) tivesse perdido a vocação e/ou até o know-how para este tipo de acontecimento. Será que estou exagerando?
Alguém poderia me explicar, porque, como foi bem dito no post, até eu sei que o HSBC Arena não é local para um show da Cat Power e porque REM não lotou, porquê o Multishow cortou o show mais importante do mundo e mais cobiçado, o Radiohead, para exibir o Big Brother. Enfim...

SS disse...

quem manda é o empresário, e garanto q ele tá pouco se fudendo se vai lotar ou não. Algum esquema forte tem aí e a gente não sabe...

Anônimo disse...

Pois é! Não faz o menor sentido! Provavelmente algum contrato esquisito que rola desde a época da construção da quadra para o pan.

atlantic disse...

Charles, ainda faltou dizer que, pra piorar, o show do REM foi num sábado! O que aconteceu foi imperdoável e inexplicável.

Há alguns mistérios que furam minhas hipóteses de preço alto e escolha equivocada de lugar para o show:

1- Tem gente que não se importa em pagar mais de R$ 1000 pra ir em micareta.

2 - Há também o caso do Kiss, que não conseguiu colocar nem 20.000 pessoas na Apoteose. Acho que nem se o Kiss tocar numa cidade com 5.000 habitantes o show terá menos de 20.000 pessoas.

O público de rock no Rio de Janeiro não está vestindo a camisa. Não consigo entender o porquê.

blogisalosinggame disse...

Quando vi que marcaram o show dela pro HSBC pensei exatamente a mesma coisa! A não ser que coloquem os ingressos a 30 reais a inteira, não vai lotar não.

Veridiana disse...

Já aqui no Recife é o inverso, qualquer show de fora,lota! Mas é claro que também conta a falta dos mesmos.
Shows tem muito, e maravilhosos, a gente dá muito valor à música, muito som de primeira é produzido aqui.. mas quanto a shows de fora, é uma cidade esquecida,um absurdo! a gente merecia mais shows.. whatever!

Se os cariocas vão,não sei,só sei que estarei aí! UHUL!

atlantic disse...

Também estarei lá! Seu Rodrigues, nosso correspondente em NY, conferiu a performance dela há pouco tempo e disse que é imperdível. Se o homem recomendou, eu acredito.