quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Que disco você salvaria de um incêndio?

A pergunta faz parte dos questionários de 11 entre 10 revistas de música quando rola aquele esquema direto e reto de "pergunta-resposta": se sua casa estivesse pegando fogo, que disco você voltaria correndo pra salvar? A chatinha Sheryl Crow ganhou minha simpatia quando disse que salvaria Let It Bleed, dos Stones.

Eu ficaria numa situação difícil por perder a casa e os discos, mas como salvar o iPod não faz parte da brincadeira, entraria correndo pra buscar o primeiro desses caras aqui:


Mesmo porque, provavelmente, o incêndio começou por causa desse discaço... E vocês? Que discos salvariam?

9 comentários:

:: Fräulein :: disse...

Eu não pensaria duas vezez antes de correr pra pegar minha caixa amada
"Heat and Soul" do Joy Division. Meu grande mimo! e se desse tempo... pegava a bolacha Radioactitity do Kraftwek

:: Fräulein :: disse...

*Heart

SS disse...

Nenhuma novidade pra quem me conhece: "Razorblade Suitcase" do Bush

tom disse...

minha versao especial do second edition, do public image, que vem numa lata de metal, rarissimo

atlantic disse...

Estava aqui pensando: ia ser uma pena ver o disco do Otis Redding queimando... mas eu já salvei o "Is This It".

É que os Strokes são caras da minha idade que fizeram a trilha sonora do momento em que eu comecei a comprar discos com o meu risível primeiro salário. Esse tipo de coisa fica na memória.

Giul, Discoteclando disse...

Em consideração a Sheryl Crow pela escolha dela, eu salvaria seu álbum homônimo, que tem muito de Stones lá.
rs.
Pô, eu salvaria o Sticky Fingers, Exile on main st., Let It Bleed, os Led Zeppelins, os Black Crowes... nossa... mas vamos falar de um que ninguém põe nessas "listas"

All Things Must Pass, do George Harrison

atlantic disse...

Do cacete esse disco Giul... e bastou você falar em George Harrison pra me lembrar que eu também sofreria pelos discos queimados de Ronnie Lane.

Se não me engano, foi o Carlos que entrou aqui no blog e fez a comparação entre os dois. Nunca tinha reparado, mas agora sempre que se fala em um deles, acabo associando as figuras: discretos e talentosos pra caramba.

Henrique disse...

Vocês colocaram cada clássico...

Vou dizer, pensei bem e não consegui me lembrar daquele CD que me marcou de verdade... Na minha cabeça tinha o Veedon Fleece do Van Morrison (esse sempre me vem à cabeça)ou, talvez, o It's Too Late to Stop Now (tb dele). Apenas isso... Quem sabe eu esteja com a memória fraca em relação às minhas emoções.

Bom, este fim de semana eu decidi não salvar nenhum disco: salvaria o DVD Live at Montreux do Rory Gallagher... Era este que eu não deixaria queimar.

Abraços...

atlantic disse...

Por falar em Montreux, terminei de ler o livro do André Midani (Música, ídolos e poder - do vinil ao download) e ele conta um causo sensacional desse festival que tem tantas apresentações fodásticas: Elis Regina subiu ao palco em 1979 e fez um show nervoso, suando bicas. Logo ela que sempre tem o controle. Aí ele chega pra ela nos bastidores e pergunta o que está havendo.

- Quando subi no palco, lembrei que a Ella Fitzgerald tinha pisado ali dois dias antes, aí lembrei que sou filha de lavadeira...

Vai a dica para quem ainda não leu esse livro!