sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Terapia coletiva

Em 1995, a música vivia mais uma das suas reviravoltas: Kurt Cobain havia se suicidado no ano anterior e os olhos agora saíam da chuvosa Seattle e voltavam-se para a não menos chuvosa Manchester. Com o fim do Nirvana, os irmão Gallagher assumiam o papel de novos manda-chuvas (com trocadilho) da cena musical.

Enquanto tudo mudava, Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana, estava em casa e gravava sozinho todos os instrumentos do disco que o tiraria da sombra de Kurt. Nascia o Foo Fighters.

O álbum de estréia vinha com refrões marcantes, riffs caprichados e muito barulho logo no começo com as pancadas "This is a Call" e "I'll Stick Around", faixas separadas apenas pelo tempo de uma respiração. Acima de tudo, a mensagem do disco está mais no processo e no contexto em que foi produzido do que nas músicas: foi o grito de liberdade de Grohl e uma terapia coletiva para os fãs do Nirvana que ainda estavam de luto.


1. This Is A Call
2. I'll Stick Around
3. Big Me
4. Alone + Easy Target
5. Good Grief
6. Floaty
7. Weenie Beenie
8. Oh, George
9. For All The Cows
10. X-Static
11. Wattershed
12. Exhausted

4 comentários:

:: Fräulein :: disse...

Ouvia muito FF na época que ouvia rádio, depois não me interessei em ter cd não, pra mim foi som que ficou na minha adolescência mesmo. Mas os clipes, ah os clipes, sempre achei um melhor que o outro.
abç,

atlantic disse...

Desse disco eu ainda gosto. Depois do terceiro (e ótimo) álbum acho que a banda se perdeu um pouco.

Os clipes são um show à parte com Dave Grohl e sua veia de comediante!

ss disse...

Admito que na época não gostei do FF por ciumes... não aceitava a idéia, achava que o Dave Grohl queria roubar o lugar do kurt.
E depois teve uma rixa do FF com o Bush... aí que meu ódio aumentou, mas hoje em dia admito que os caras são bons

atlantic disse...

No começo, eu estranhei a velocidade com que o disco saiu. Acho que a morte do Kurt foi tão marcante que ainda existia um forte clima de luto quando o Foo Fighters apareceu em 95.

Mas a primeira vez que coloquei no player, o disco me conquistou. E saber que o cara gravou sozinho mudou minha visão sobre Dave Grohl.