quarta-feira, 1 de julho de 2009

Expresso Lapa-Glastonbury

Rapaz, a coisa por aqui anda raspando o meio-fio. Nessa última semana, só deu para respirar naqueles 15 minutos de intervalo para um café sem açúcar. Estava tão acostumado com a minha vida de celebração do ócio que ainda estou apanhando do relógio. Mas aos poucos as coisas se acertam por aqui.

Vale registrar que estamos definitivamente em 1985 depois da morte de MJ. O mais interessante é que os discos dele sumiram nas Lojas Americanas. Fui conferir (só de curiosidade) se o preço tinha inflacionado com a partida do cara. Das duas uma: ou os saudosistas compraram tudo, ou foi tudo pro estoque receber um novo preço mais salgado. De qualquer maneira, tal qual 1985, Jacko está no topo das paradas.

E acabou que o festival de Glastonbury deste ano tomou ares de notícia secundária, né? Mesmo abafado pelas tragédias que vendem jornal, o festival seguiu queimando amplificadores. Aqui vai um vídeo da apresentação dos sempre bem-vindos Franz Ferdinand.



E vendo isso, me dei conta de que eu nunca ouvi ninguém falar que o show desses caras é fraco, é mais ou menos... A banda sempre deixa boas recordações em todos os palcos por onde passa. Seja na Lapa ou seja em Glastonbury!

3 comentários:

bad disse...

Preciso de outro show dos caras!

:: Fräulein :: disse...

hey, eu vi dvds e cds do jacko por 15 contos nas americanas de copa e passeio, hoje mesmo, rs.

atlantic disse...

O Franz é imperdível ao vivo. Sempre que vierem, estarei lá.

***

Fraulein, se não me engano, os discos do MJ estavam custando 9,90 no começo da semana passada... Agora as Americanas queimam esse estoque com lucro!