terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Amy Winehouse makes me wanna smoke crack

“Por que você pagaria para me ver numa jaula que alguns chamam de palco?” é a pergunta que saiu do primeiro single do Babyshambles, banda liderada pelo ex-Libertine e atual colega de apartamento de Amy, o doidão Peter Doherty. A frase me veio à cabeça na primeira noite de shows da cantora no Rio. Esses dois devem passar as noites batendo longos papos sobre suas carreiras (com duplo sentido, claro).


A imprensa brasileira imprimiu que Amy é o Tim Maia britânico, que o show dela é imperdível, que ela é genial. Todas as matérias começam do mesmo jeito: falam do talento, das confusões, da oportunidade de volta por cima diante do público brasileiro. Mas o que se viu ontem numa arena lotada estava longe de ser a volta por cima. Foi só mais uma das cambalhotas de uma carreira muito irregular nos palcos.

A voz estava razoável, bem longe da apresentação-desastre em Lisboa. Os tropeços enquanto caminhava pelo palco eram visivelmente ensaiados e foram um tanto ridículos. Sua banda ficou perdida mais de uma vez com os já previsíveis imprevistos. Amy é um personagem que sai do palco a qualquer momento, que pára de cantar para rir e que, na frente de milhares de pessoas, apareceu para cumprir tabela e ficar em cena o mínimo de tempo previsto no contrato que assinou. Depois dos 10 primeiros minutos, tudo foi esquecível.

Seria memorável se ela tivesse abandonado o palco na quarta música para não voltar. Deixaria um público muito irritado, mas teria feito um bom show e eu veria minha grana de volta. Em vez disso, se arrastou por mais 40 minutos e deixou pra trás um público se sentindo culpado por ter aparecido numa noite chuvosa e em um local de show tão distante para ver uma versão sem graça das suas músicas e dos seus tropeços. Ninguém ensaiou nem uma vaia e, no fim das contas, Amy fez o que se espera dela. E o que se espera dela é muito pouco.

3 comentários:

minicontosperversos disse...

O show durou só 50 minutos? Não pagava nem a cachacinha que ela tá tomando nas fotos.

ss disse...

bem que o Simão da BandNewsFM disse...
"Ingresso pra show da Amy Winehouse é igual a ação de alto risco: ou você vê um showzaço ou vê uma merda completa"

...

e o show do STP ???

ORELHA EXTRA disse...

Só para que conste: a banda a quem se deve grande parte do sucesso da personagem são os fantásticos Dap-Kings (que acompanham a fabulosa Sharon Jones) e que foram contratados para fazer o primeiro disco "Back To Black". Ganharam um disco de platina com o sucesso e colocaram o mesmo disco num local bem apropriado da sua editora, a Daptone: a casa de banho!!! (História verídica).

:-)

Abraço.

F.