sexta-feira, 19 de setembro de 2008

O baile de Cortez

Já que andamos falando em capas de disco, essa horrenda arte esconde um discaço de Neil Young. O álbum Zuma, de 1975, foi planejado para ser uma obra conceitual que contava a história da chegada dos europeus ao continente americano e do massacre das civilizações que nele viviam. No entanto, Young estava em um momento muito produtivo depois de passar por uma fase de trevas e a idéia original do disco ficou apenas na sensacional faixa "Cortez, The Killer".

A guitarra de Young e seus vocais anunciavam com mais de 15 anos de antecedência que o grunge vinha por aí.

1. Don't Cry No Tears
2. Danger Bird
3. Pardon My Heart
4. Lookin' For a Love
5. Barstool Blues
6. Stupid Girl
7. Drive Back
8. Cortez The Killer
9. Through My Sails

5 comentários:

Anônimo disse...

ESSE DISCO É BOM PRA CARALHO MANO. CHEREI MUITA COCAINA OUVINDO ESSE LP. ACHO QUE VOU TER UMA RECAIDA OUVINDO "CORTEZ, THE KILLER". KKKK
VALEU HERMANO. ABRAÇO.

atlantic disse...

Anônimo, assim você acaba como indigente, rapaz! Aprecie com moderação. hehehe

Um grande abraço!

Ministério da Saúde adverte: disse...

Se cheirar, não dirija.

Henrique disse...

Discaço! Nunca cheirei ouvindo, mas gosto pra carái...

Melhor ainda o TONIGHT'S THE NIGHT!

....

atlantic disse...

E o Henrique dando idéia pro rapaz procurar mais discos para se drogar! hehehehe...